Ecoturismo

 

O ecoturismo, segundo a EMBRATUR, é um “segmento de atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações envolvidas”.

O ecoturismo é um segmento turístico que proporcionalmente mais cresce no mundo, enquanto o turismo convencional cresce 7,5% ao ano, o ecoturismo está crescendo entre 15 a 25% por ano. A Organização Mundial de Turismo (O.M.T) estima que 10% dos turistas em todo o mundo tenham como demanda o turismo ecológico. O faturamento (mundial)  anual do ecoturismo é estimado em US$ 260 bilhões, dos quais US$ 70 milhões atribui-se ao Brasil.

Embora o trânsito de pessoas e veículos possa ser agressivo ao estado natural desses ecossistemas, os defensores de sua prática argumentam que, complementarmente, o ecoturismo contribui para a preservação dos mesmos, é um dos principais meios de educação ambiental e permite a integração e desenvolvimento econômico das comunidades locais em áreas de preservação ambiental.

O termo já era usado no século de 700 a.C e 800a.C para designar rotas com belas paisagens ecológicas na África.

Para que uma atividade possa ser considerada como de Ecoturismo, ela deve garantir:

  1. Conservação de recursos naturais e culturais;
  2. Geração de benefícios para as comunidades receptoras; e
  3. Garantia à educação ambiental

O ecoturismo é percebido pelos seus adeptos ou tende a ser promovido como  :

  • uma forma de praticar turismo em pequena escala;
  • uma prática mais ativa e intensa do que outras formas de turismo;
  • uma modalidade de turismo na qual a oferta de uma infraestrutura de apoio sofisticada é um dado menos relevante;
  • uma prática de pessoas esclarecidas e bem-educadas, conscientes de questões relacionadas à ecologia e ao desenvolvimento sustentável, em busca do aprofundamento de conhecimentos e vivências sobre os temas de meio-ambiente;
  • uma prática menos espoliativa e agressiva da cultura e meio-ambiente locais do que formas tradicionais de turismo.
 O Ecoturismo define-o como um estado ideal de um turismo que8 :
  • Minimiza seu próprio impacto ambiental;
  • Patrocina a conservação ambiental;
  • Patrocina projetos que promovam igualdade e redução da pobreza em comunidades locais;
  • Aumente o conhecimento cultural e ambiental e o entendimento intercultural;
  • E que seja financeiramente viável e aberto a todos.

ECOTURISMO NO BRASIL

De acordo com Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2008), apesar de toda a vocação do setor turístico brasileiro ele não tem ampliado de forma significativa seu peso na riqueza produzida pelo país. Desde 2003, a participação do turismo no PIB tem oscilado pouco, representando cerca de 3,6% do produto interno bruto nacional (PIB). Na classificação do Índice de Competitividade em Viagens e Turismo de 2009, que mensura os fatores preponderantes à consolidação de negócios no setor turístico de cada país, o Brasil ficou em 45º lugar mundial, sendo o segundo colocado entre países da América Latina e o quinto no continente americano. O mesmo relatório classificou o Brasil em quarto lugar mundial no quesito potencial turístico na área de recursos humanos, nos aspectos culturais e naturais, sendo que, quando considerado somente seus recursos naturais, o Brasil posiciona-se no segundo lugar do ranking mundial.

Atualmente, existem dois programas com o objetivo de promover o desenvolvimento do ecoturismo, o Programa Nacional de Ecoturismo da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável (S.D.S/M.M.A) e o Programa de Visitação nos Parques Nacionais da Secretaria de Biodiversidade e Florestas (S.B.F/ M.M.A, 2006). Ambos tem por objetivo de fomentar a participação das comunidades tradicionais em atividades de desenvolvimento ecoturístico brasileiro.

Em 2008 foi criada a Revista Brasileira de Ecoturismo para suprir a necessidade de divulgação de pesquisas nessa área, tornando-se referência científica em ecoturismo no país. Ela tem periodicidade quadrimestral e é editada pela Sociedade Brasileira de Ecoturismo, a mais importante entidade científica da área no Brasil.12 O Congresso Nacional de Ecoturismo, com periodicidade bienal, é o maior evento do segmento no Brasil, e também é organizado pela Sociedade Brasileira de Ecoturismo.

Os mais destacados pesquisadores brasileiros das temáticas do Ecoturismo são: Adyr Balastreri Rodrigues, Davis Grube, Marta de Azevedo Irvin, Paulo dos Santos Pires, Sidnei Raimundo, Suzana Machado Padua, e Zysman Neiman, dentre outro

Até 2003, o mercado brasileiro possuía cerca de 250 operadoras especializadas em ecoturismo, sendo que 70 delas localizadas na cidade de São Paulo no ano 2000. Neste ano, estima-se que o ecoturismo tenha sido praticado por meio milhão de pessoas no Brasil, gerando emprego para trinta mil trabalhadores, por intermédio de cinco mil empresas e instituições privadas. Dentre as 32 operadoras americanas, canadenses, francesas, italianas e sul americanas que operavam para a América do Sul, na data da pesquisa, apenas 10 (31,25%) ofereciam o destino Brasil. Nesses pacotes, apenas três produtos eram comercializados: Amazônia e Pantanal (em 80% dos casos) e Foz do Iguaçu (com 40% das ocorrências).

ECOTURISMO X ECOTURISMO DE AVENTURA

Ecoturismo e Ecoturismo de aventura se assemelham em suas características e propósitos, entretanto se destacam em função das atividades inerentes a cada um.

O Ecoturismo de aventura se caracteriza pela prática de atividades esportivas com ou sem obejetivo de competição, tais como: rafting, canoismo, bóia cross, motocross, entre outros.

Já o Ecoturismo contempla  a interação com o meio-ambiente através de atividades sem cunho esportivo: cavalgadas, caminhadas, arvorismo, snorkelling, visitas a reservas naturais, fazendas históricas, e similares.

——–

Texto adaptado do site WIKIPÉDIA, nos termos de licença creative commons (CC BY – SA 3,0)

 

 

 

Um comentário sobre “Ecoturismo

  1. Gostei do artigo,
    TRILHA USINA DO RIO CAPIVARI
    Quem gosta de trilha e de conhecer lugares históricos, pode se aventurar na Trilha Usina do Rio Capivari. O ponto de saída é a Selvasp Ecoaventura Park e o destino final são as ruínas da antiga vila operária do Rio Capivari, onde era gerada energia para a vila dos trabalhadores da ferrovia, para o telégrafo e para a estrada de ferro.
    São 16 quilômetros de caminhada. O passeio começa às 9h e tem previsão de término às 18h. Além de observar a fauna e a flora local, as trilhas levam os visitantes a contemplarem a Cachoeira do Capivari, Ruínas da Vila Operária, Ruínas da antiga Usina e Poço das Antas.
    O valor por pessoa é de R$70. É necessário agendamento com, no mínimo, cinco dias de antecedência e grupos compostos por, no mínimo, dez participantes. Está incluso no preço guia especializado, seguro individual, lanche de trilha e taxa de entrada na Selvasp Ecoaventura Park.
    Para agendar, entre em contato com SelvaSP EcoAventura.
    Serviço:
    SelvaSP EcoAventura
    Tel.: (11) 94728 5809/ 94727 4296/ 99503 5616.
    facebook.com/pages/Selvasp-Canoar-Eco-Aventura

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s